E de uma música, um texto

E você escutou aquela música e gostou, e viu a letra e ficou pirada. Ela pode não ter juras de amor, ou uma história realmente incrível. Mas combina com você, independente.
 Então, estreando uma nova tag: E de uma música um texto.




 E você acorda mergulhada em nostalgia. Uma bela (ou não) manhã de domingo, sabendo que amanhã é segunda. Aquela luz fraca que passa pela sua cortina te deixa ainda mais impossibilitava de levantar, e do nada você começa a pensar na vida, ou no pouco que existe dela. Quem tem uma vida aos 15? Quando tudo que você faz a sociedade enquadra num tipo.

  Ficar apenas encarando uma pequena rachadura na parede que você não havia reparado antes, lembrar de quando ter um quarto só para você era novidade, e que essa novidade já passou.

 Encarar o teto azul, e se lembrar de lembranças tão distantes. De momentos que eram tão intensos e agora se perderam numa imensidão de rotina. É como uma mão de areia ao mar. Umas o vento leva para mais longe, outras grudam nas dobras da sua roupa, a maioria se ajunta ao fundo arenoso do mar. Que diferença faz? Você sabe que os grãos estão na sua roupa, eles te arranham, mas não consegue se livrar deles. A areia que foi ao mar, está ali, você sabe. Mas já não consegue mais identificar o seu punhado. E as que foram ao vento? Você ignora todas as leis da física ou o que for e não conta com a possibilidade de que alguns grãos se foram. E é assim com as lembranças que geram a saudade. E a nostalgia, um estágio muito dolorido, sabe?
 
 E que tal tentar ler? Quando a cada frase você voa para uma lembrança? Não. E escutar música? Pior, sempre tem aquela antiga que você não consegue deletar, mas sempre corre para adianta-la. Músicas são grandes carrascas. Elas te torturam, torturam de uma maneira terrível...

 E quando as aulas de filosofia começam a surgir efeito? E você se sente alguém tão insignificante diante de todo um mundo. E dois minutos depois você já pensa que pode ser uma grande transformadora do mundo. Mas e as perguntas negativas surgem. E se eu não conseguir? E se eu não conseguir? E se eu não conseguir?

 Às vezes a minha preguiça de me levantar de onde estou, de fazer o que tenho que fazer é apenas consequência de uma mente perturbada. Que sempre está em conflito e precisa paralisar todo o resto para se, bem... Torturar? Quem merece se metralhar com tantas dessas perguntas? Tantas lembranças... Tudo tão sem sentido... É por isso que eu preciso de alguém para me dizer o que fazer, ou eu me perderia em meio a tantas possibilidades.
 Obrigada, pais. 

5 Não calaram a boca:

Marcela! • disse...

Você é toda inspirada e escreve coisas bem bacanas, eu gosto!
:)

Kaah Araújo disse...

Minha colaboradora postou sobre essa música no blog essa semana! É muito linda ;)

Bjs!

Tati disse...

Adorei a ideia para a nova tag e adorei mais ainda o seu texto.
beijos

Luana Farias disse...

Bah nunca escutei essa música mas adorei seu texto super legal.

Bjs

Raphaele C. disse...

Obrigada Garotas. :')

MUITO.

Postar um comentário

Por favor, os comentários só serão aceitos se estiverem dentro das "normas" de ética. O que envolve:

- Não seja desagradável, tudo bem fazer criticas mas evite o uso de linguagem chula, depreciação, pré-conceito e tudo aquilo que você sabe ser errado.

- Evite,por que além de ser chato é feio para sua imagem, pedir que o Bloggeiro visite seu Blog. Com mensagens: " Legal seu Blog, visita o meu?" e etc. Um comentário bem feito e com conteúdo vai chamar muito mais atenção que súplicas. Aliás fazer súplicas só espanta visitas.

É só isso. Obrigada por comentar!

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...